Onde é o lugar da construção

Construção – Dione Mendes

“Sementes de esperança e útero vazio, possibilidades de conexão”

Temos pensado, nesses dias, em desconstrução e construção, hoje vamos começar pensando em construção refletindo a seguinte pergunta: Você sabe o que Deus está fazendo na sua vida nesse tempo? Não falo de circunstâncias, se está vivendo bonança ou tribulações… mas falo de um processo… constantemente fazemos parte do processo de construir, e, você percebe esse movimento de Deus na sua vida nesse tempo?

História do Cativeiro Babilônico: É dessa história que vamos tirar as reflexões do processo de construir.
1º) Onde é o lugar da construção: Há um lugar e um tempo.
Houve um tempo na vida do povo de Deus, que o lugar da construção foi num exílio.
Na época de Jeremias (606 aC) o povo de Judá estava sendo levado cativo para a terra da Babilônia. Houve vinte anos de cerco, e o povo foi sendo levado aos poucos. O povo resistia em se submeter a Nabucodonosor, rei da Babilônia. Queriam permanecer em Sião, afinal Sião é o lugar “certo” para o povo de Deus estar; ou então queriam fugir para o Egito.
Mas Deus dizia: Não é tempo de fugir para o Egito e não é tempo de ficar em Sião (Jerusalém). Deus deu a Jeremias a visão dos figos podres… aqueles que insistisse em permanecer em Jerusalém seriam como frutos podres, como figos ruins, que de tão ruins não se podiam comer. Os frutos bons seriam produzidos na terra do exílio, para onde não queriam ir. Deus estava construindo algo novo. (Jr 24:3-8) Ele estava dizendo: Meu povo vai sair do lugar seguro…não é tempo de estar em Sião…vai para o desconhecido, onde tudo parece hostil. Exílio é um lugar onde não queremos estar.
Salmos 137 fala como o povo estava em Sião: ”Às margens do rio da Babilônia nos assentávamos e chorávamos, lá pendurávamos as nossas harpas, pois aqueles que nos levaram cativos nos pediam canções…mas, como entoaremos canções de Sião em terra estranha?”
Mas Deus dizia: …é tempo de viver nesse lugar, e serão 70 anos. Não é tempo de ficar lamentando. Não é tempo de pendurar as harpas…Deus manda Jeremias escrever uma carta aos exilados, dizendo (Jr. 29.5,6,7): “Plantai pomares e comei os seus frutos; construí casas e habitai nelas… gerai filhos e filhas nesse lugar….”
O lugar de frutificar é o lugar onde Deus nos colocou.

Quem diria que aquele tempo foi um rico tempo de construção?
 Lá foi o lugar e o tempo em que aquele povo aprendeu a adorar a Deus na sua essência, aprendeu a ser povo de Deus numa terra idólatra. Em Jerusalém eles tinham o templo de Salomão, onde estava a arca da aliança, símbolo da presença de Deus. Eles só sabiam se relacionar com Deus e servi-lo com rituais, mas foi tirado diante dos olhos deles todos os objetos sagrados, o templo estava destruído, e eles estavam bem longe de Sião. Foi ali que tiveram que descobrir sua identidade como povo de Deus.

 Ali naquele lugar teve acontecimentos que ficaram registrados na história, como o cuidado de Deus com seu povo, a soberania de Deus sobre as nações: Daniel na cova dos leões, seus companheiros na fornalha de fogo, a rainha Ester, e outros.

 Ali Ezequiel teve visões de Deus. O livro de Ezequiel começa contextualizando nomes, tempo e lugar, onde e quando Ezequiel estava. No exílio também se tem visões de Deus. “Estando eu junto ao rio Quedar, junto aos exilados, abriram-se os céus, e eu tive visão de Deus”. Ez.1:1 – Ele teve visão de Deus em plena terra do exílio.

 E, foi, ainda, naquele tempo que Nabucodonosor teve uma experiência com Deus e declarou em carta aberta a todo o reino: “Há um Deus nos céus que governa sobre a terra.”

Se você está num tipo de exílio, num lugar onde você não quer estar, mas se Deus está nesse processo você vai ver os céus se abrir e vai ter visões de Deus aí mesmo. Visão de Deus não acontece só em Sião, se Deus está nisso é porque Ele está construindo algo. É preciso discernir o tempo e o lugar de Deus, e estar apercebida disso. Deus está escrevendo uma história, na sua vida e através dela, e te chama a fazer parte desse processo.
Esse processo de construir é de Deus, mas fazemos parte. É preciso um movimento. Isso nos leva ao segundo ponto.

2º) É preciso inspecionar as ruínas e se dispor em um movimento: Nee 2.11 a 13 e 17 Neemias volta do Exílio em 444 aC para reconstruir os muros derrubados em Jerusalém.
O primeiro passo de Neemias foi inspecionar e contemplar aquela miséria e, então, ele lamentou aquela situação: “não é possível continuar assim, temos que sair dessa vergonha.”
Deus nos chama a ousar contemplar as ruinas na nossa vida, da nossa casa, ao nosso redor. Contemplar a ruina e chorar a ruína são princípios bíblicos; faz parte de um processo de Deus para começar um movimento. Em Joel há um versículo que diz: “Ai daquele que não chora a ruína de José…”, falando de um tempo que deveria haver choro e clamor, e não comodismo..
Deixa Deus acender a luz. Deus não quer nos expor e nos envergonhar, mas não quer nada escondido. É preciso coragem para contemplar o que aqui está derrubado, queimado, rompido. Não há mais como viver em meio a escombros.

O processo:
Pensando em descontruir e construir, percebemos que isso não é um processo simples, sequencial, onde primeiramente tudo é desconstruído, os escombros todos retirados, para depois começar a construir. Eu fico pensando Neemias naquela construção, talvez em algum momento a visão dele se turvava, tentando entender onde ali terminava os escombros e onde começava o novo muro que estava sendo reerguido.
O processo de construção é de Deus, mas ele não ocorre ao acaso. Neemias se dispõe, ele segura a arma com uma mão e constrói com a outra; os inimigos ao redor zombando, mas Neemias sabia que aquele processo era de Deus.
O processo é de Deus, mas ao mesmo tempo passa por algumas disciplinas, atitudes, por escolhas que fazemos todos os dias. Silenciar e ouvir Deus meditar na palavras são disciplinas diárias que devemos ter. Isso não é novo para nós. Agora o desafio é pensar nisso como uma disciplina, mas ao mesmo tempo como graça, Como uma prática, mas não firmar nossa confiança na eficácia, na competência dessa prática em si mesma. Não há fórmulas. Temos que ter um entendimento espiritual, uma visão de Deus aqui dentro, uma revelação.
Há uma passagem em Isaías 27:2 a 5 que fala muito comigo. (da tradução “A Mensagem”): “Naquele tempo aparecerá uma vinha, que poderá ser decantada (processo em que tira as impurezas do vinho, para que dele se extraia o melhor aroma). Eu o Eterno cuido dela (da vinha). Eu a mantenho bem irrigada. Eu tomo conta dela com muito carinho…não estou irado, Eu me importo com ela. Mesmo que produza apenas espinheiros e roseiras bravas, Eu vou arrancá-los e queimá-los. Que essa videira se agarre a mim para sua segurança; para ter uma vida plena comigo, para que ela permaneça em mim para ter uma vida longa e agradável.”

Essa permanência se dá em sabermos quem Ele é e quem nós somos: Eu sou a videira…vós sois os ramos. Permanecei em mim, sem mim nada poseis fazer.

Recapitulando – A escolha do lugar e do tempo nesse processo de construção é de Deus; é preciso inspecionar a ruina e se dispor a um movimento, em fé, dependendo da graça. Isso nos leva ao terceiro ponto.

3º) A disposição de comprar um campo em terra desolada:
Naquele contexto de caos, Jerusalém cercada, o povo sendo levado cativo, Deus mandou Jeremias comprar um campo, registrar em escritura e guardá-la num vaso de barro, para se conservar muitos anos, porque: “haverá um tempo que nessa terra voltará a comprar e vender casa, campos e vinhas.” (Jr 32:14,15).
Você compraria um terreno numa cidade destruída por um terremoto, com entulhos da altura de um prédio? Deus estava dizendo para Jeremias: quero que invista numa terra invadida, exilada, porque o resultado de tudo isso é meu, esse processo de construção é meu, quem governa esse edifício sou eu. E eu estou dizendo que vai valer a pena.
Quando vivemos um momento que não vemos o que está sendo construído, às vezes hesitamos: “será que algo disso aqui vai permanecer?”
Você já se viu investindo num lugar que parece terra de ninguém? Se Deus te colocou nisso, ele está no processo e vai valer a pena, ainda que você não tenha expectativas de ver grandes resultados no desenvolvimento dessa construção feita através de você. É que você não tem controle sobre os resultados. O processo é dele. Você tem que fazer escolhas? Sim; É necessário prontidão, útero pronto a receber semente e gerar? Sim. Mas você não tem controle sobre os resultados desse processo.
Deus continua nos dizendo: paga o preço, invista, ainda que você nunca veja os resultados. Jeremias não viveu tempo suficiente para ver aquele campo valorizado. Mas viveu seu momento presente, percebendo com uma certeza: “Deus tá construindo algo novo, eu acredito.”
É preciso perceber o que Deus está fazendo. Há um versículo em pv 29.18 que diz: “Quando as pessoas não conseguem ver o que Deus está fazendo, elas tropeçam em si mesmas.” Por isso o chamado no início dessa palavra à reflexão: “você sabe o que Deus está fazendo na sua vida nesse tempo? ou você está desatenta? Apenas levando uma vida religiosa, sem ver que há um movimento de Deus na sua vida?
“Quando as pessoas não conseguem ver o que Deus está fazendo, elas tropeçam em si mesmas.”
Esses homens e mulheres de Deus na história só fizeram a obra porque se agarraram a Deus em fé, não foram chamados porque tinham recursos, mas tinham ouvidos para ouvir e olhos para ver Deus no processo.
Isaías: “Ai de mim…estou perdido, sou pecador….” Mas Deus estava ali: “O seu pecado está perdoado…não estou irado…só preciso de alguém que se agarre a mim…esse processo é meu.”
Jeremias: “Não passo de uma criança…”, e o Eterno diz: “Não diga isso….eu te escolhi…e esse processo é meu.”

Conclusão:
Deus está construindo uma história na sua vida, e através de sua vida, e ele te chama a crer em tempo de crise; ele chama mulheres que tenham olhos para ver os céus se abrirem em terra de exílio, que tenham visões não apenas em lugar comum, mas em lugares desconhecidos; mulheres dispostas a comprar campos em terra que parece abandonada, porque sabe que ainda vale a pena.
O que Deus quer é pessoas que percebam que Deus está no processo e que ali Ele está construindo algo novo. Deus quer pessoas que olhem para o movimento de Deus e diga: “Isso é obra do Eterno, este é o tempo em que o Eterno está agindo, e, eu acolho isso em meu útero pronto. Eu quero fazer parte.”

Por Dione Mendes
3º Encontro do “Encontros e Caminhos” – Udi/2016

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s