Mulher, seus frutos fazem desta terra um lugar melhor

Palavras começam a surgir na minha mente, palavras como: cuidado, cuidadora, fecundidade, sonhos, criatividade, crise, sensibilidade, gestação, filhos, afeto, frutos…
Não há como pensar em frutos sem pensar em árvore. Fruto imediatamente me remete a árvore. Não consigo pensar em uma árvore fazendo um esforço para ter um fruto. Quando olho para uma árvore, vejo que ela é sempre ela mesma, feliz, mesmo quando é outono. A gente passa e lá está ela: às vezes verde, às vezes seca, de repente explode uma flor, épocas com frutos, épocas com folhas, também com os dois ao mesmo tempo.
Mas quando olhamos para as pessoas, independente das “estações”, não temos a sensação de que estão sempre felizes. Muitas decisões sendo tomados, frutos sendo gerados como consequência da cobiça humana, frutos que não tem feito dessa terra um lugar melhor.
Diante disso, vou ao Primeiro Salmo na Bíblia:
Esse Salmo está falando que há um local apropriado para que uma árvore tenha folhas, frutos e prospere. Há sim um lugar que Deus planta sua árvore. O local é o que Ele escolhe: junto a águas correntes.
Mas a notícia é que as circunstâncias podem mudar, ou seja, a água de repente pode diminuir, pode até secar! Como também pode ficar muito forte a correnteza. Mas ainda que as circunstâncias mudem, a árvore pertence a Deus, Ele cuida dela – essa é a parte dEle na aliança. Há uma aliança entre Deus e os d’Ele.
Os frutos servem para alimento, para gerar vida. E o tempo certo para a produção de frutos é o tempo de vida.
E, o Salmo Primeiro aponta um caminho ou revela atitudes necessárias, talvez vitais, além do fato de estar no lugar que Deus planta, para que frutos sejam produzidos:
1 Andar segundo conselhos. Conselhos são sim importantes, só é preciso saber de onde estão vindo, de quem eles são ouvidos. Isso não quer dizer que são os conselhos que definirão as suas decisões, mas eles são de grande ajuda. Mas, com quem você tem caminhado? Por onde você tem passeado? Você tem se calado para ouvir, para aprender, para observar? Você precisa ouvir, você precisa de conselhos, não se isole, não viva sozinha, busque pessoas com outras vozes, outros olhares, experiências diferentes das suas. Uma história tem sempre mais de um lado. Uma situação tem mais de uma maneira de ser olhada.
2 Deter-se no caminho dos justos. Não basta andar, passear. É necessário parar, aquietar, calar…em um lugar…no caminho dos justos. Há muitos lugares que nos convidam a deter: a sala de televisão, o nosso passado, a solidão do quarto, olhando só para você mesma e se lamentando. Detenha-se no caminho dos justos.
3 Assentar-se: Em que roda você tem se assentado? Com quem você tem habitado? Tem várias rodas de relacionamento à sua disposição: a roda do afeto, da aceitação, das boas palavras. É importante ter pessoas que tem conosco um compromisso, que nos confronta. Cada pessoa precisa ter alguém a quem prestar contas. Essa roda nos protege, traz cuidados, propicia crescimento. Na comunhão frutos são produzidos, no compartilhar, no repartir, no doar, no saber receber, no andar junto. Deus quer te dar amigos. Abra-se para isso!

4 É interessante que depois de estar com e passar por tanta gente, o convite é: Deleitar-se em e meditar na Palavra: Esse é o lugar de quem sabe que pertence. É o lugar da presença, é como chegar em casa. É isso que dá completo significado à nossa vida; é isso que tem o poder de acalmar, de satisfazer a alma. Esse é o lugar da quietude, do silêncio. Muitas vezes tememos o silêncio, porque o silêncio nos expõe a nós mesmas, nos confronta. Mas na presença de Deus e de Sua Palavra, o temor vai se desvanecendo.

Medita na Palavra de noite e dia – no choro e na alegria. Aqui precisamos conhecer a solidão e o silêncio para ouvirmos ao Deus que fala, e, em consequência disso, a nossa oração será como resposta ao que ouvimos de d’Ele.
Temos aqui cinco verbos: andar, deter, assentar, deleitar, meditar.
É um conjunto de verbos interessante. Um conjunto que vai desacelerando. Imagine uma pessoa andando, depois ela se detém, depois assenta, depois se deleita, e então, medita…para depois novamente andar, deter, assentar, carregando agora novidades buscadas e encontradas na presença d’Aquele que é o Plantador de árvores.
Isso é Graça de Deus! É presente d’Ele. É o fruto que Ele espera. Deus não espera o fruto do nosso esforço, Deus não espera o fruto da nossa correria, Deus não espera o fruto do nosso sentimento. Deus espera o fruto da nossa decisão e do nosso compromisso. Para que assim essa terra se torne um lugar melhor.
Marisa Duarte

(Palavra ministrada no Encontro de Mulheres em Santana do Paranaíba/SP – 2012)

http://www.encontrosecaminhos.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s