N.T: Estudo 08

ESTUDO 8:
PERSEVERANDO EM ORAÇÃO:
“E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.” Atos 2:42

I- O que é oração:
Há muitas definições de oração. A mais comum é “orar é falar com Deus”. É verdade, porém, a oração envolve mais. É relacionamento, é estar na presença de Deus, falando ou ouvindo. A oração envolve gratidão, consagração, confissão, petição por si mesmo, intercessão, adoração. Tudo isso, na verdade, são atitudes do coração no nosso viver diário, mas, muitas vezes estes termos são colocados como “tipos” de oração, para entendermos que ao orar podemos abordar todas estas questões.
Em tessalonicenses diz: “Orai sem cessar” – Sabemos que não seria possível faze-lo em palavras. Viver em atitude de oração é ter a consciência de que estamos em todo tempo na presença de Deus, em dependência, gratidão, em clamor silencioso.
Além de ser uma atitude do coração, a oração é também uma prática que exige disciplina, silêncio, solidão. Em Mateus 6:6 Jesus aborda a oração como um tempo a sós com o Pai. “Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto, e fechada a porta, orarás a teu Pai, que vê em secreto.” E, em Mateus 7:7, Ele nos ensina: “Peçam, e lhes será dado; buscai e encontrarão; batam, e a porta será aberta…”

II- Por que orar?
Deus é soberano e tem propósitos definidos. Mas, ao longo da história bíblica aprendemos que aprouve a Deus a participação do seu povo, em oração, nos seus planos. Diante disso, devemos orar discernindo o tempo e o propósito de Deus, conforme o exemplo em Daniel 9:2-3 e Dn 9:18-19
Quando o povo de Israel foi levado cativo à Babilônia, Deus disse através do profeta Jeremias que o cativeiro duraria setenta anos. Um dia, Daniel atentando que o tempo da promessa havia chegado, se dipôs a orar, jejuar e confessar o pecado do povo a Deus, clamando para que cumprisse o que já estava no coração de Deus. Deus é soberano, e a oração de Daniel era necessária – as duas verdades coexistem.
É preciso, então, depender do Espírito Santo para orarmos conforme o coração de Deus, pois o Espírito sabe qual é a mente do Pai. E, Ele nos “auxilia, porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis.” Romanos 8:26

III- Orar com fé:
A bíblia nos encoraja a orar com fé, crendo que já recebemos. Marcos 11:24 Tiago 1:5-7
E, também nos encoraja a acrescentar jejum à nossa oração. Atos 13.2-3; 14:23; II Co 6:5
A fé no poder da oração vem pelo meditar na Palavra e pelos testemunhos. Não devemos “colecionar” em nossas conversas e mentes as orações “não respondidas”, ou as curas que não aconteceram, mas pense em todas as orações atendidas, e nos milagres que já vivenciamos e ouvimos testemunhos. É isso que gera fé no nosso coração.
Jesus quando curava dizia: “A tua fé te salvou”. Cabe a nós pedir com fé, e a Deus cumprir os seus propósitos.
Decida crer em milagres.

IV- Interceder:
. A bíblia diz que Deus procura intercessores – pessoas que se dispõem a se colocar entre Deus e o necessitado. Isaias 59:16
. Deus preservou várias vezes a vida do povo de Israel pela intercessão de Moisés. Deuteronômio 9:18-20; Números 14:18-20
. Jeremias foi um profeta intercessor que chorou o pecado do povo, e dizia: queria ter mais lágrimas para chorar, pois via o povo de Deus com o coração endurecido caminhando para destruição.

. Deus fala através do profeta Joel: “Ai daquele que não chora a ruína de José… ai daqueles que vivem sossegados em suas casas…” E, Joel descreve a situação: “…a terra está seca, o vinho novo acabou, o azeite está em falta… as sementes estão murchas, a colheita se perdeu.” E, então Deus faz um chamado à intercessão: “Acordem, chorem, lamentem, gritem por causa do vinho novo, fiquem aflitos, reúnam o povo…e ainda diz “Chorem no altar e clamem: Poupa o teu povo, Senhor.”
Este é o choro de Deus. Isto é intercessão. Todo o capítulo 1 de Joel, e o capítulo 2:1-17, é um apelo ao clamor, e no 2:18-32 é a resposta do Senhor, que revigora o nosso coração.
Todo cristão deve interceder, porém há o ministério de intercessão. Fique atento ao chamado de Deus, seja sensível ao “peso” que o Espírito de Deus colocar no seu coração a clamar por sua casa, igreja, líderes, autoridades civis, nações…

Seja em louvor, gratidão, choro, ou abrindo o coração, orar requer total entrega, conforme o antigo cântico: “Mas só podes fluir o que estás a pedir quando tudo deixares no altar; e, só então podes ver que o Senhor tem poder, tudo, tudo deixando no altar.” É esta oração promove descanso, sendo fruto da intimidade, da fé, da esperança.

Henri Nouwen diz: “Orar é descer com a mente ao coração e ali ficar diante da face do Senhor. Ali habita o Espírito de Deus e ali acontece o grande encontro.” Lindíssimo, não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s